Funcho

O funcho, mundialmente conhecido como “fenel”, é uma erva utilizada desde a antiguidade pelos egípcios devido às inúmeras propriedades medicinais e, na culinária, devido ao sabor adocicado característico que ela possui. Na China antiga, a planta era utilizada para tratar picadas de cobra. Já nos tempos medievais, as pessoas penduravam a erva nas portas para espantar “espíritos do mal”. Os romanos utilizavam as sementes em diversas receitas como erva aromática.
O nome “funcho” deriva do latim foenum, que significa “feno”, devido ao aspecto das folhas, bem finas e divididas. A planta pode crescer cerca de dois metros de altura, e as folhas chegam a 40 centímetros de comprimento. Assim como as sementes, as folhas têm odor e sabor adocicados, parecidos com anis. As flores são pequenas e amarelas.

Propriedades e indicações
O funcho está entre as plantas mais ricas em potássio, sódio, fósforo e cálcio. Aliás, ele contém mais cálcio (49 mg/100 g) que a maçã (7,14 mg/100 g) e uvas passas (40 mg/100 g). Além disso, possui altos níveis de ômega 3 e cerca de 21 ácidos graxos, como os ácidos caproico, caprílico, láurico e palmítico. Também contém óleos essenciais como o estragol e limoneno, que conferem à erva propriedades medicinais para tratar aftas na boca, refluxo e cólicas abdominais.
Já os flavonoides conferem atividade anti-inflamatória e imunomoduladora, melhorando quadros de febre, gripes e alergias, por exemplo. E os compostos fenólicos auxiliam na prevenção de doenças do coração, câncer e doenças inflamatórias, como artrite.

Modo de usar
O funcho é muito utilizado na culinária europeia devido ao sabor semelhante ao do anis. No Brasil, ele é mais usado para aromatizar bolos, pães, doces e biscoitos, além de fazer parte do preparo de saladas, sopas e outros pratos.
Como tratamento, as partes da erva podem ser utilizadas de diversas maneiras, desde mastigar as folhas para tratar aftas e refrescar a boca, até o uso das sementes e frutas no preparo de chás e extratos.
Com a infusão das folhas (deixe em água quente por 15 minutos), faz-se um chá que pode ser tomado entre as refeições. Isso serve para tratar cólicas (em bebês e adultos), dor de estômago, baixar a febre e melhorar o sono. Ele também ajuda a estimular a produção de leite materno. Contudo, o uso em excesso pode prejudicar a gravidez.
Esse preparado pode ser utilizado para beber ou fazer compressas. Aplicada nos olhos, alivia coceiras e conjuntivites alérgicas.
Para obter um efeito mais laxativo (para melhorar o funcionamento do intestino), faça decocção com as sementes (deixe ferver por 15 minutos).
Para melhorar o refluxo e diminuir os gases, tome 20 gotas do extrato com água ou chá digestivo, 30 minutos antes das refeições.
Daniela Kanno é médica.

 

FICHA TÉCNICA
Nome científico: Foeniculum vulgare Mill
Nome popular: erva-doce, funcho, fiolho, fennel (inglês)
Partes usadas: folhas, caule, flores, frutos, sementes
Propriedades terapêuticas: digestiva, calmante, galactogoga (aumenta a produção de leite materno), antiviral, antitumoral, antifúngica.
Auxilia no controle de gases.

 

Fonte do artigo:

REVISTA VIDA E SAÚDE, São Paulo, n. 9, p.20, setembro 2015.

funcho-seco